No útero

No útero

Algumas pessoas acham que o período no útero é principalmente para o crescimento físico. Claro que existe alguma verdade nisso, mas há mais coisas.
No último período da gravidez, os bebês começam a fazer coisas com seus cérebros. Talvez seja ir longe demais dizer que eles pensam, mas estudos mostram que os bebês começam a responder a diferentes estímulos, externos ou internos. O cérebro está envolvido nestas reações. Isso é fascinante quando você considera que há menos de cem anos, as pessoas achavam que um recém-nascido não era nada além de um corpo com alguns reflexos. Sabemos agora muito sobre os diferentes desenvolvimentos sensórios dos bebês ainda na barriga.

Seu bebê sabe como você se sente!

Você sabe melhor do que ninguém que como mãe você está ligada ao seu “bebê na barriga”. Você já começa a entender seu bebê antes mesmo de vê-lo. Você sabe exatamente o que cada chute e virada significa. E seu bebê também conhece você! Ele sente o gosto, ouve e sente seu humor!

O gosto do líquido amniótico varia de acordo com seu estado e seu humor. Cada vez que seu bebê toma um golinho deste fluido, ele sente o gosto das alterações. Ele tem um número muito maior de papilas gustativas do que uma criança mais velha ou um adulto. Além disso, as papilas gustativas cobrem uma área ainda maior, toda a cavidade oral. Ele é um provador mestre. A pesquisa mostrou que se você repentinamente viver algo estressante, o sabor das do líquido amniótico muda. Pequenas mudanças, como durante uma conversa com o vizinho, não são fáceis de medir. Mas quando você, como mãe, fala com toda a atenção com seu bebê, isso é geralmente acompanhado de muita emoção. E ele vai sentir o gosto disso. Tais emoções intensas ajudam seu bebê a entender melhor a sua “conversa”. Emoções semelhantes ajudam seu bebê a aprender a falar após o nascimento.

Além disso, ele sente o gosto que você está sentindo, seu bebê ouve o que você está sentindo. O humor de seu bebê é, em grande parte, determinado pelo seu estado de espírito. Ele entende isso quando você o expressa. Ele faz isso pela melodia de sua voz, ouvindo as mudanças em seu tom de voz. Sua voz revela as emoções que você sente enquanto você fala. As palavras não precisam corresponder ao que você sente, porque ele não entende seu significado. Seu batimento cardíaco revela seu humor. Seu bebê ouve como seu coração reage a determinadas situações. Uma vez que os batimentos aumentam ou diminuem quando você está feliz, com medo ou triste. Seu bebê ouve suas emoções e simpatiza com você.

Seu bebê também lê as emoções em sua respiração. Você pode estar respirando tranquilamente, apressadamente, suspirando ou fazendo longas pausas e assim por diante. Tudo isso transmite uma mensagem. Uma mensagem para a qual ele, por sua vez, responde de sua própria maneira original.

Memórias do útero

Os recém-nascidos ainda lembram-se das coisas do abdômen, embora eles não estejam cientes disso. A pesquisa mostrou, por exemplo, que a capacidade de escutar o som, e não só ouvir, é significativamente maior entre as semanas 36 e 37 da gravidez. O bebê reconhece sons que ele ouviu antes. Sua memória funciona. Os pesquisadores descobriram que ao tocarem a mesma música para um bebê de 36 a 37 semanas de idade no momento do útero e de novo, eles observaram o mesmo movimento todas as vezes que a música começava a tocar. Um sinal de que o bebê da barriga reconheceu a música. Um bebê começa a reagir aos sons que ouve na barriga. Mas ele ainda não reconhece os sons. Para isso, ele deve continuar se desenvolvendo. E o desenvolvimento ocorre entre a semana 30 e 36. Desta vez, o desenvolvimento não é em seu ouvido, mas no cérebro.

Seu bebê vai experimentar muitas coisas, mas muito diferentes!

Mesmo que se bebê ouça, saboreie e sinta muitas coisas na barriga e que ele seja capaz de se “lembrar” das coisas, ele faz isso de forma muito diferente da nossa. Isso porque seu cérebro não funciona exatamente como o nosso. Nós sentimos que alguém ao nosso lado está usando perfume, mas não ouvimos e provamos o perfume. Um bebê recém-nascido ainda não experimenta essas diferenças de percepção sensorial. Suas experiências sensoriais ainda estão misturadas. Ele experimenta todos os sinais que vêm através de seus sentidos como um todo. Como uma espécie de “mix” de experiências. No nascimento, o bebê nem sequer entendo que ele tem a sua própria existência. Ele acha que é um com o resto do mundo ao seu redor. Isso é algo que dificilmente conseguimos imaginar. A cada salto mental, seu bebê vai experimentar o mundo mais da forma como nós o percebemos. Ele aprende as diferenças entre os vários sinais sensoriais e aprende a reconhecer seu próprio eu.


Observação:
Esta informação não é suficiente para ajudar o seu bebé a passar pelo salto. Leia tudo sobre este salto no livro e dê ao seu bebê a ajuda que ele realmente precisa.

Seu bebê realmente precisa de sua orientação durante este (e outros) salto(s)!

  • Veja o mundo na perspectiva de seu bebê
  • Aprenda como incentivar cada salto adiante
  • Ajude seu bebê com o comportamento difícil conhecido por CAI: Choro, Apego e Irritabilidade
  • Saiba quais os jogos e brinquedos são melhores durante cada semana chave
  • Use calendários, gráficos e listas de verificação para entender seu comportamento
  • Guia semanal do comportamento de seu bebê